AIDS

O que é AIDS ? A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é uma doença infecciosa causada por um vírus chamado HIV. Este vírus destrói as defesas naturais do organismo contra infecções provocadas por outros vírus, bactérias e fungos. Esta doença assume grande importância pela sua gravidade e pela rapidez com que está se alastrando por todo o mundo. Ainda não foi descoberta a cura para a AIDS.

Quais são as manifestações da doença ? As manifestações iniciais são análogas as viroses comuns: febre, mal-estar, cansaço, perda de peso e diarréias prolongadas. As pessoas infectadas podem apresentar um período de incubação de duração muito variável, desde alguns meses até vários anos, durante o qual não há nenhum sintoma. Ainda há controvérsias se todo indivíduo infectado irá necessariamente desenvolver a doença ou não. Contudo, é certo que todo o indivíduo contaminado pode transmitir a doença. Quando a doença está plenamente desenvolvida, em virtude da deficiência das defesas naturais, há ocorrência de infecções várias, com os sintomas próprios de cada uma delas, como infecções respiratórias, intestinais, meningite e outras.

Como se transmite a AIDS ? O vírus da AIDS está presente no esperma, nas secreções vaginais e no sangue das pessoas contaminadas, e pode se transmitir através de: relações sexuais, transfusões de sangue, infecções com material não apropriadamente esterilizado e pelo leite materno quando a mãe é portadora do vírus

Ninguém pega AIDS : Pelo convívio com pessoas doentes, pelo compartilhando copos, pratos e talheres Pelo ar, espirros ou tosse. Em piscinas, saunas ou qualquer outro lugar público. Abraçando, beijando ou dando carinho a um amigo que esteja com AIDS.

O que eu devo fazer para não pegar AIDS ? O sexo vem sendo o principal responsável pela disseminação da doença. Quanto maior o número de parceiros sexuais, maior será o risco de contaminacão. O maior risco é através do sexo anal. Como prevenção, você deve: usar sempre e de forma correta a camisinha nas relações sexuais, lembrando que o maior risco é fazer sexo com pessoa contaminada. Só usar seringas e agulhas descartáveis. No caso de transfusões, só aceitar sangue previamente testado. Os objetos cortantes e perfurantes usados em dentista, acupuntura, tatuagem, alicates de unha, agulhas, devem ser desinfetados ou esterilizados. A incidência de AIDS nos usuários de drogas vêm apresentando níveis elevados. O contágio nesse grupo é, habitualmente, devido ao uso compartilhado de seringas e agulhas.

Como é o tratamento para a AIDS ? O tratamento atual visa dois alvos: um é o combate às infecções associadas e o outro é inibir a ação do HIV. Há várias drogas sendo usadas contra o HIV e muitas mais ainda em fase experimental. Ainda não foi encontrada a droga ideal nem uma vacina contra a AIDS.

Como é feito o diagnóstico da AIDS ? Da mesma forma que em outras doenças, o diagnóstico da AIDS se apóia na história relatada pelo paciente, no exame físico e em exames complementares. O laboratório dispõe de um elenco de testes que buscam evidenciar: a) substâncias características do vírus (antígenos); b) substâncias produzidas pelo organismo especificamente dirigidas contra o vírus (anticorpos); c) alterações que ocorrem no organismo durante a infecção pelo HIV, mas que não são específicas dessa doença.

Os exames laboratoriais para diagnóstico são absolutamente seguros ? Em termos. Os antígenos virais estão presentes no início da infecção e desaparecem ao surgirem os anticorpos; contudo, na fase mais precoce da infecção, os antígenos ainda não são detectáveis. Ademais, entre o desaparecimento dos antígenos e o surgimento dos anticorpos, pode haver um período de tempo durante o qual tanto os antígenos quanto os anticorpos estão ausentes. Finalmente, nos estágios avançados da doença, o organismo pode deixar de produzir os anticorpos e o doente torna-se soro-negativo.

Com relação a metodologia usada, não existe nos laboratórios médicos nenhum teste que seja, ao mesmo tempo, 100% sensível (sem falso-negativos) e 100% específico (sem falso-positivos).

Por estas razões, todos os resultados devem ser adequadamente interpretados pelo médico assistente, a quem caberá decidir a necessidade ou não de exames suplementares.

Existe risco de pegar AIDS no laboratório ao fazer colheita para exames ? Não. Em toda a casuística mundial não existe nenhum caso desse tipo de contaminação. O material potencialmente infectante usado no laboratório (agulhas e lancetas) é descartável e estéril .